Semana Mundial de Amamentação 2019 começa nesta quinta-feira

01/08/2019
10:40:03

O Ministério da Saúde lançou nesta quarta-feira, 31, em Brasília, a campanha anual de incentivo à amamentação. A ação marca o início da Semana Mundial de Amamentação 2019 (SMAM), que ocorre na primeira semana de agosto, em mais de 170 países.

Neste ano, o destaque é para a importância do amparo de toda a rede de apoio (família, amigos, profissionais de saúde, empresários) aos pais, em especial às mulheres que estão amamentando. Na ocasião, o ministro também anunciará a habilitação de 39 unidades hospitalares como Hospital Amigo da Criança, para qualificar ainda mais a atenção à saúde da gestante e do bebê no país.

O lançamento da campanha aconteceu na sede da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), em Brasília, e teve a participação da representante da OPAS/OMS no Brasil, Socorro Gross e da representante da UNICEF, Florence Bauer. A cerimônia também contou com os depoimentos da Juíza do TJDFT, Caroline Lima, mãe, apoiadora da amamentação e responsável pelo credenciamento de quatro Salas de Apoio à Amamentação no TJDFT; e da primeira dama do Distrito Federal, Mayara Noronha, sobre sua atual experiência de amamentação e os trabalhos desenvolvidos no Governo do Distrito Federal (GDF) para a causa da saúde da criança.

Das 39 unidades hospitalares que serão anunciadas como Hospital Amigo da Criança, 31 terão a habilitação renovada. As outras oito unidades serão habilitadas pela primeira vez. Com a medida, o Ministério da Saúde irá repassar um total de R$ 2 milhões ao ano para o custeio dessas unidades. Atualmente, o Brasil possui 317 hospitais Amigos da Criança e repassa, anualmente, mais de R$ 9 milhões para a iniciativa, que visa a reorganização das práticas hospitalares, para aumentar as taxas de amamentação na primeira hora de vida e aleitamento exclusivo na alta hospitalar.

A iniciativa existe em 131 países e estimula práticas de atendimento humanizado às mães e bebês, além do incentivo ao parto normal. Trata-se de um selo de qualidade conferido pelo Ministério da Saúde aos hospitais, que devem respeitar critérios, como os 10 passos para o sucesso do aleitamento materno; cumprimento da Norma Brasileira de Comercialização de Alimentos para lactantes e crianças de primeira infância, bicos, chupetas e mamadeiras; além do cuidado respeitoso e humanizado à mulher durante o pré-parto, parto e o pós-parto; garantir livre acesso à mãe e ao pai na unidade de saúde e a permanência deles junto ao recém-nascido internado, durante 24 horas.

O Brasil possui 228 Salas de Apoio à Amamentação em todo o país credenciadas pelo Ministério da Saúde. As Salas de Apoio à Amamentação são locais simples e de baixo custo para as empresas, onde a mulher pode retirar o leite durante a jornada de trabalho e armazená-lo corretamente para que ao final do expediente possa levá-lo para casa e oferece-lo ao bebê.

O aleitamento materno é a melhor fonte de nutrição infantil, sendo capaz de reduzir em 13% a mortalidade por causas evitáveis em crianças menores de cinco anos. Protege a criança de doenças como diarreia, infecções respiratórias e alergias. Além disso, reduz o risco de a criança desenvolver hipertensão, colesterol alto, diabetes, sobrepeso e obesidade na vida adulta.

O Ministério da Saúde recomenda que as crianças sejam amamentadas até os dois anos ou mais e de forma exclusiva até o 6º mês de vida. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e Unicef, cerca de seis milhões de crianças são salvas a cada ano com o aumento das taxas de amamentação exclusiva até o 6º mês de vida.

Ministério da Saúde