Como você entrou aqui sem a roupa de festa?

17/12/2020
08:51:28

No Evangelho de São Mateus (22,12) encontra-se esta pergunta estonteante: Amigo, como você entrou aqui sem a roupa de festa? Sem qualquer dúvida esta pergunta alcança o íntimo do coração mostrando como preparamos este encontro com Deus. Esta pergunta visa identificar se o encontro com Deus é preparado com superficialidade, imediatismo e até se deixamos Deus falar ou se o amordaçamos impondo os nossos planos, exigindo que cumpra a nossa vontade. Não somos condutores de Deus. É sempre Ele que conduz.

É natural que na conclusão deste ano criemos momentos festivos pensando o que vestiremos, quem convidaremos, o que serviremos, e outras realidades que passam pelas inúmeras vias do coração despertando vários sentimentos. Não podemos permitir que nada estrague as belas vestes da graça divina que recebemos das mãos generosas de Deus. Não podemos deixar que a maldade rasgue as vestes da bondade. O rancor não pode manchar as vestes do amor. A praga da desunião não pode corroer a veste do perdão e da reconciliação.

Deus é sempre Aquele que dá o primeiro passo na nossa direção. Deus lança o convite. Ele nos chama pelo nome daquela maneira que somente Ele pode pronunciar. O som da voz de Deus é compaixão, é voz ternura, voz salvação. Este deve ser também o som da nossa voz despertando para o encontro com o Emanuel, o Deus-conosco que assume a nossa humanidade ensinando-nos sua linguagem que dissipa as trevas da discórdia com a luz da misericórdia. O Evangelho de São Mateus recorda: “Bem-aventurados os misericordiosos porque alcançarão misericórdia”. É assim que Deus convida para festejá-lo em cada momento da vida ou seja, sendo misericordioso conosco. É assim que devemos convidar todas as pessoas com as quais nos encontramos pelas estradas da vida isto é, com gestos fraternos de misericórdia e solidariedade.

Neste tempo santo do Advento lembramos o Lar Sagrado de Nazaré habitado por Jesus, Maria e José. Preparar a mesa foi uma atividade realizada tantas vezes por estes três corações tão profundamente entrelaçados. Convidemos Maria Santíssima, Mãe da Fé e o seu esposo São José para que nos ensinem a preparar a mesa da nossa vida para o Menino Jesus. O que serviremos no banquete da nossa história? Presentear Jesus com a vida cheia de Evangelho, com o cheiro da sua Palavra é o presente precioso que podemos oferecer ao Deus da Vida que quer festejar conosco.

 

Pe. João Claudio é pároco da paróquia Nossa Senhora Aparecida (Bairro Farolândia)

 

Arquidiocese de Aracaju