Conselho de Farmácia alerta sobre a automedicação

31/07/2020
11:51:11

O Conselho Regional de Farmácia de Sergipe lançou, através das redes sociais, a campanha que enfatiza problemáticas da automedicação. Na manhã desta sexta-feira, a Tesoureira do CRF, Larissa Feitosa foi entrevista no Programa “Linha Direta”. Ela afirmou que muitas pessoas estão se automedicando, em especial neste tempo de pandemia.

Segundo Larissa, ainda não há dados oficiais sobre o perfil de consumo de medicamentos nos últimos meses no Brasil. “Apesar disto, é notório que há grande procura por medicamentos das classes dos polivitamínicos, anti-inflamatórios, analgésicos, antigripais e antiparasitários”, descreveu

Toda e qualquer tipo de auto medicação traz diversos riscos à saúde desde um simples mal estar ou até mesmo a sintomas graves e levar a morte. "Por não haver comprovação científica, diversas entidades de saúde apontam que o uso de medicações como a cloroquina, hidroxicloroquina e ivermectina no combate ao novo coronavírus é arriscado. A Organização Mundial da Saúde (OMS), assim como o Conselho Federal de Farmácia (CFF), constantemente tem combatido a desinformação acerca desse tema," alertou Larissa.

A representante do Conselho de Farmácia faz o alerta às pessoas que já vinham se automedicando sem nenhum tipo de consulta. “Nenhum medicamento deve ser usado por conta própria principalmente neste momento em que estamos vivendo no combate ao coronavírus”, conclamou.

Para Larissa, não há problema em pessoas irem à farmácia comprar remédios. O que realmente complica é comprar medicamentos e tomar os mesmos sem uma orientação do próprio farmacêutico. "Com a possibilidade da compra de medicamentos sem receita, o recomendado é que a automedicação seja realizada mediante orientação do profissional farmacêutico, o que pode ser chamado de automedicação assistida ou responsável”, concluiu a Tesoureira do CRF.

 

Por Ceiça Dias