Papa lamenta falecimento do cardeal mais idoso do mundo

06/09/2019
16:32:19

O Papa Francisco enviou um telegrama de pesar pela morte do Cardeal José de Jesús Pimiento, Arcebispo Emérito de Manizales (Colômbia), que morreu em 3 de setembro e era o cardeal mais idoso da Igreja Católica, com 100 anos.

O Papa Francisco enviou suas condolências ao atual Arcebispo de Manizales, Dom Gonzalo Restrepo, através de um telegrama no qual garantiu que recebeu a notícia da morte do Cardeal Pimiento "com dor" e pediu para transmitir à família do Purpurado e a toda a diocese seu "sentimento de pesar".

"Ao lembrar-me deste centenário pastor, que entregou sua vida a Deus e à Igreja trabalhando com coragem pela paz e pelo bem comum, ofereço sufrágios pelo seu descanso eterno, para que o Senhor Jesus lhe conceda entrar na morada eterna", afirmou o Papa.

Na Colômbia informaram que as exéquias serão realizadas na cidade de Bucaramanga, neste dia 5 de setembro, às 15h, na Catedral da Sagrada Família. A cerimônia será celebrada pelo Núncio Apostólico, Dom Luis Mariano Montemayor.

Breve biografia

O Cardeal José de Jesús Pimiento Rodríguez nasceu em Zapatoca, Santander (Colômbia), em 18 de fevereiro de 1919. Aos 17 anos, ingressou no seminário de São Gil e depois foi para o Seminário Maior de Bogotá, onde terminou seus estudos.

Foi ordenado sacerdote aos 22 anos, em 14 de dezembro de 1941.

Aos 36 anos, foi nomeado Bispo Auxiliar de Pasto pelo Papa Pio XII. Em 1964, São Paulo VI o nomeou Bispo de Garzón.

O então Bispo Pimiento participou das quatro sessões do Concílio Vaticano II como padre conciliar e, posteriormente, participou das Conferências Gerais do Episcopado Latino-Americano de Medellín (Colômbia, 1968), Puebla (México, 1979) e Santo Domingo (República Dominicana, 1992).

Em julho de 1972, foi eleito presidente da Conferência Episcopal da Colômbia.

Em 1975, São Paulo VI o nomeou Arcebispo de Manizales, onde exerceu seu ministério pastoral por 21 anos.

Em 1996, São João Paulo II aceitou sua renúncia e mudou-se para Urabá antioqueño para exercer seu serviço pastoral como missionário na Diocese de Apartadó.

Foi criado Cardeal pelo Papa Francisco em 2015, aos 95 anos. Por motivos de saúde, não pôde viajar ao Vaticano para assistir ao consistório e, portanto, o Cardeal Rubén Salazar, Arcebispo de Bogotá, entregou-lhe o barrete, o anel cardinalício e o pergaminho com o título concedido pelo Papa, em uma cerimônia especial.