58,27%


Ajude - nos!
Faça o seu depósito no
              Banese - Ag. 051 
              C.C: 03/100.111-9
Faltam8 dias
Peça sua Oração
Peça sua Música
Reclamações

Notícias

02/01/2017

O que os noivos precisam saber antes de se casarem?

Namorar é muito bom, noivar é melhor ainda, mas casar é maravilhoso! O tempo passa e a vontade de encontrar a pessoa certa para se casar aumenta a cada ano e a cada tentativa frustrada. Porém, existem alguns pontos que os noivos precisam saber antes de se casarem.

A meta de um namoro é o casamento; pelo menos deveria ser, pois o fato de se relacionar intimamente com o amado é para verificar se, de fato, é com essa pessoa que se deseja passar o resto da vida como cônjuge. Quando o discernimento chega a um ponto em que não resta dúvidas de que realmente é essa a pessoa certa, a data do casamento começa a ser o assunto dos noivos.

As mulheres ficam extremamente felizes, sensíveis e empolgadas, olhando todos os aplicativos possíveis que ajudem a organizar o casamento dos sonhos ou que caiba no bolso. O vestido perfeito, a pessoa que vai arrumar o cabelo e fazer a maquiagem, o tipo de buquê e por aí vai…

Os homens também ficam extremamente felizes e empolgados, mas, por outro lado, ficam, em sua maioria, olhando os possíveis locais para passar a lua de mel, quanto custa cada item do casamento, pensando na casa que precisa montar ou que já está montando; enfim, o planejamento é uma das palavras-chave dessa fase.

Porém, existem alguns pontos que precisam ser bem trabalhados no noivado, para que os noivos não cheguem no casamento se sentindo enganado ou frustrado. Vou elencar os cinco principais, dentre muitos itens, que precisam ser bem avaliados.

O que você precisa saber antes de casar

1. A intensidade do que o irrita no outro aumenta no casamento: sabe aquelas limitações que o irritam e faz você virar os olhos? Pois então, não é que elas pioram (pode ser que sim também), mas é que você as enxergará e conviverá com elas por mais tempo. O fato de morar na mesma casa fará com que as pequenas irritações se tornem mais intensas.

O que fazer? É importante entender que do mesmo jeito que o seu noivo tem limitações que o irritam, você também tem algumas que o tiram do sério. Portanto, a pergunta a se fazer é: “Eu suporto essas manias do meu noivo?”. Se a resposta for sim, siga adiante; se a resposta for não, então procure ajuda e veja se realmente é com essa pessoa que você escolherá passar o resto da vida junto. É só imaginar você dormindo ao lado de todas as limitações que o noivo tem. Consegue lidar com esse fato? Então, prossiga. Não consegue? Reveja a relação.

2A limpeza da casa e a comida dependem de vocês (a não ser que vocês tenham uma secretária para fazer esse serviço). É importante conversar sobre os afazeres domésticos antes do casamento, para que isso não seja um ponto de tensão e briga. Se você não lavar a roupa frequentemente, elas ficarão sujas no cesto até o dia em que vocês não terão mais roupa limpa para usar. Se vocês não tirarem o pó da casa, passarem um pano, lavarem o banheiro, a sujeira acumulada vai exalar um odor, que os fará entender que passou da hora da limpeza. Nem só de biscoitos, comida congelada e ‘Rap 10’ viverá um casal; a saúde ficará prejudicada e, com isso, a necessidade de se alimentar melhor.

Uma dica é vocês se sentarem um dia e conversarem sobre os afazeres domésticos da casa. Talvez, você não suporte lavar o banheiro, mas para o outro é mais tranquilo. Para ele, talvez, cozinhar está fora de cogitação, mas para você é uma terapia. Enfim, a mulher tem como missão original liderar esse item, mas se ambos trabalham fora, é possível dialogar e contar com a ajuda mútua, para que o serviço não fique pesado para nenhum dos dois.

Meu esposo me ajuda nos afazeres domésticos, porque ele quer a minha presença ao seu lado enquanto está descansando. A pergunta “posso ajudá-lo, meu amor” é sempre bem-vinda e faz com que sejamos uma excelente equipe, terminando mais rápido o que levaria horas e horas para ser feito. Isso não fere a masculinidade dele nem me faz uma feminista; ao contrário, fortalece o nosso amor concreto no dia a dia. Por mais que a iniciativa parta de mim, eu sei que posso contar com a ajuda dele.

3. As contas virão e o orçamento depende de vocês: os gastos com supermercado, farmácia, roupas, carro e lazer dependem de como vocês administram o que ganham. É interessante e recomendável vocês conversarem, ainda no noivado, sobre de qual forma irão gastar o dinheiro. Quais são as prioridades? O que é essencial? Quais são as suas despesas mensais? Às vezes, o rapaz não tem noção do quanto a noiva gasta com remédios, cosméticos, roupas etc. Às vezes, a moça não sabe que ele paga mensalmente algumas contas particulares, corte de cabelo etc. O diálogo é fundamental no orçamento.

Sugiro que vocês façam uma planilha com as entradas e saídas financeiras de ambos, e assim vocês visualizem, no todo, o que gastam de maneira individual. É importante haver conjugalidade na parte financeira. Já não é mais o “meu dinheiro”, mas “o nosso”. O combinado antes não sai caro depois.

4É bom ter o momento dos “bolinhas” e das “luluzinhas”. Por mais que saibamos que somos diferentes, muitas vezes, temos a tendência de querer que o outro seja aquilo que queremos e que faça o que gostamos;no entanto, é importante deixar que ele tenha seu momento e espaço para ser “mulher” e “homem”. Exemplo: em sua maioria, as mulheres têm seu momento de beleza para fazer as unhas, hidratar os cabelos, depilar etc. Os homens têm a necessidade de ter seu momento de relaxar, seja lendo, assistindo à TV, jogando vídeo-game ou não fazendo absolutamente nada. Quando não se respeita esse espaço próprio do sexo oposto, no casamento, querendo que o outro só faça o que queremos e o que gostamos, a tensão e briga podem aparecer.

O que fazer? Dialogar para compreender melhor quais são as necessidades e desejos particulares de cada um. Entendendo que aquele momento, em que cada um está fazendo o que sente necessidade, ou que deseja fazer, não interfere no amor de um pelo outro. A frase “Ele não faz o que eu quero, na hora que quero, porque já não me ama como antes” é sinal de imaturidade. O fato de “sereis uma só carne” não deixa de respeitar a individualidade e singularidade de cada um. Quanto mais livre conseguirmos deixar o outro, no casamento, ser quem ele realmente é, mais amor transbordará desse relacionamento.

5. O casamento é uma linda via de santificação: a maioria dos noivos tem a doce ilusão de achar que tudo será sempre mil e uma maravilhas. Casa-se somente para ser feliz e realizar os sonhos pessoais, o que não é errado ou ruim. Porém, o verdadeiro sentido do matrimônio está no processo de santificação de cada um, como família, alcançar o céu. É uma construção que exige mútua doação, para que, com a chegada dos filhos, a fé seja transmitida não só pela catequese, mas por meio do testemunho de vida dos pais.

Preparar-se para casar

Casamento é algo muito sério, por isso é importante que os noivos busquem a ajuda de um casal mais velho, que seja referência e tenha uma família cristã; busque também um diretor espiritual, leituras de livros sobre relacionamento com uma boa e sólida referência bibliográfica.

 

É preciso se preparar para receber o sacramento do matrimônio. O autoconhecimento e o diálogo são fundamentais para ver se ambos estão realmente preparados para viver o resto de suas vidas na companhia um do outro, se o amor é verdadeiro e não pura paixão. Não tenha medo de terminar um noivado. Aprendi com o professor Felipe Aquino que “o melhor divórcio é no namoro e no noivado”. Se essa é a vocação para a qual Deus o chama e você encontrou a pessoa certa, que não é perfeita, mas é a sua justa medida, então sejam felizes e experimentem a beleza e riqueza do sacramento do amor.


Fonte/Autor: Canção Nova

Deixe seu Comentário

Ainda não há comentários, seja o primeiro a comentar.

Seu Nome:

Seu E-mail:  (Não será divulgado)

Comentários:
   Página de 15     ( Total de Registros: 146 )

 

 
© Copyright 2009  Rádio Cultura de Sergipe
Rua Simão Dias, 643  Centro · Aracaju/SE
(79) 3226-8710 · 3226-8704 · 3226-8700  |  cultura@cultura670.com.br
 
 
 
Desenvolvido por Forma&Cor - Comunicação e Design